Notícia

Imagem destaque notícia ESTRATÉGIAS DE VACINAÇÃO DÃO RESULTADO E ARAPORÃ FIGURA EM PRIMEIRO LUGAR NO INDICADOR DE COBERTURA VACINAL

ESTRATÉGIAS DE VACINAÇÃO DÃO RESULTADO E ARAPORÃ FIGURA EM PRIMEIRO LUGAR NO INDICADOR DE COBERTURA VACINAL

As estratégias adotadas pela Prefeitura de Araporã e Secretaria da Saúde levaram o município a se consolidar em primeiro lugar no ranking das cidades que integram a Superintendência Regional de Saúde (SRS) e que superaram as metas de imunização do calendário vacinal do Ministério da Saúde. Os indicadores de cobertura vacinal foram tema da última reunião da SRS realizada no mês passado em Uberlândia. Ao atingir 100% de cobertura de todas as vacinas preconizadas no calendário vacinal Araporã foi classificada como risco muito baixo para doenças imunopreveníveis. E isso só foi possível graças às campanhas de vacinação e às estratégias adotadas pela Atenção Básica em Saúde.

Conforme relatório da SRS, dos 18 municípios que integram a Superintendência Regional de Saúde de Uberlândia, Araporã foi o único a conseguir 100% de cobertura. Vários desses municípios, apesar de todo esforço concentrado, não conseguiram atingir as metas e apresentaram risco alto ou muito alto para as doenças imunopreveníveis.

Faz parte do calendário vacinal do Ministério da Saúde a BCG, Hepatite B em menores de 1 mês, Rotavírus, Pneumo 10, Penta (DTP/Hib/HB), Polio, Meningo C, Tríplice Viral D1, Febre Amarela e Hepatite A.

Para a secretária de Saúde de Araporã, Carla Ferreira de Oliveira Teixeira, o indicador de cobertura vacinal representa um importante instrumento para a tomada de decisão nas diferentes esferas de gestão, uma vez que somente com coberturas adequadas é possível alcançar o controle ou, manter em condição de eliminação ou erradicação as doenças imunopreveníveis sob vigilância.

É importante destacar que dentre as estratégias adotadas pela Secretaria da Saúde para superar a meta de cobertura vacinal está a realização de um criterioso trabalho de orientação da população através de campanhas de vacinação, visitas domiciliares dos agentes comunitários de saúde - em alguns casos é realizada a busca ativa -, exigência do cartão de vacinas para atendimentos nas unidades da atenção básica, e várias outras ações concentradas.

“A vacinação é uma das medidas mais importantes de prevenção contra doenças. É muito melhor e mais fácil prevenir uma enfermidade do que tratá-la, e é isso que as vacinas fazem. A vacinação não apenas protege aqueles que recebem a vacina, mas também ajuda a comunidade como um todo. Quanto mais pessoas de uma comunidade ficarem protegidas, menor é a chance de que qualquer uma delas – vacinada ou não – seja contaminada. O indicador de cobertura vacinal mostra que estamos realizando o trabalho de forma correta e que quem ganha com isso é a comunidade”, comemora Carla Ferreira.

 GECOM – GERENCIAMENTO DE COMUNICAÇÃO