Notícia

Imagem destaque notícia VENTANIA CAUSA PREJUÍZOS E ASSUSTA POPULAÇÃO DE ARAPORÃ

VENTANIA CAUSA PREJUÍZOS E ASSUSTA POPULAÇÃO DE ARAPORÃ

O vendaval que atingiu a cidade de Araporã por volta das 16:30h com fortes rajadas de vento e chuva pesada causou danos em vários pontos da cidade. Informações colhidas até as 18h dão conta de que o Hospital Municipal João Paulo II foi o prédio público mais atingido, seguido do prédio da Vigilância Sanitária, do Tribunal de Justiça-MG, do Centro de Fisioterapia Sérgio Franceschi e da Feira Municipal.
Os prédios foram destelhados parcialmente e em todos eles a chuva causou estragos danificando documentos e atingindo computadores e impressoras. Os prejuízos não puderam sido contabilizados de imediato, dependendo de averiguações que ocorrerão no início da próxima semana.
No Tribunal de Justiça, além do destelhamento foi possível observar que a água atingiu todo interior do prédio, o mesmo ocorrendo na sede da Vigilância Sanitária ao lado, onde computadores e impressoras do município e do Estado foram atingidos. Também no Centro Municipal de Fisioterapia houve destelhamento e a água atingiu documentos, computadores e equipamentos médicos. Na Feira Municipal barracas dos feirantes foram destruídas causando prejuízos a todos e impedindo o funcionamento da feira na tarde noite desta sexta-feira.
Em todas as situações, entretanto, funcionários da prefeitura se mobilizaram para o acudimento imediato da situação e para a tomada de medidas de proteção ao patrimônio público. Na segunda-feira, 18, a real extensão dos prejuízos será conhecida, sabendo-se desde já que ninguém foi ferido pelo vendaval.

HOSPITAL MUNICIPAL

Praticamente toda a frente envidraçada do hospital veio ao chão, restando poucos vidros intactos. Parte do telhado também foi danificada. Em menos de uma hora após o ocorrido, funcionários do hospital assistidos por uma equipe da Secretaria de Obras e Serviços Urbanos já havia retirado os escombros e feito a limpeza do local.
Segundo a secretária de Saúde o hospital teve interditada sua recepção, mas o atendimento foi restabelecido com o acesso dos pacientes pela lateral esquerda do prédio. A energia elétrica própria do hospital foi acionada atendendo todos os setores. Ela disse que o susto foi grande, mas que aos poucos os ânimos serenaram e tudo voltou ao normal. “Temos uma equipe aguerrida e disposta” disse ela enaltecendo a presteza com que foram atendidos pelo pessoal da Secretaria de Obras e Serviços Urbanos.

GECOM – Gerenciamento de Comunicação